5 poemas de Clara Baccarin

Ilustração: Marcos Garuti

tudo que me torna raso
eu rasgo
tudo que me deixa mudo
eu mudo
tudo que me põe de luto
eu luto
tudo que me rasga o peito
eu peito


verdes vísceras

II

eu não te choro mais
eu te gozo

é no mel das pernas
que te absolvo

nos seios,
horizontes
nos meus lábios
–  indecifráveis
te desmistifico

te libero
em gemidos
te solto dos sonhos
do meu corpo nu
na terra úmida

te deixo de sentir
na fartura
dos poros
te volatizo
e te perdoo
na raiz profunda

és sal no meu suor
que dissolvo pura
e intensamente
para fora
das minhas
verdes vísceras


não adianta, meu bem,
oceanos não cabem
em represas

transbordei


a minha selvageria fica

avistando vales e morros

entrando por frestas de cercas

intencionalmente interrompidas

dando-me liberdades

e depois saindo com o rabinho

entre as pernas

pelas mesmas frestas reconstituídas

de medos

 

a minha selvageria fica

comendo cactos e plânctons

encantoando-se nas adaptações

escarafunchando becos e vãos

correndo solta nas vísceras

procurando matilhas de loucos

onde possa enfim

uivar

a minha solitária selvageria

quase extinta

esgarçada

de muitas graças

escorridas

da própria saliva

nos olhares

arredios e

insistentes

em domesticar


quando você quiser

pular a cerca, chutar o balde

manchar a pele, sair da empreita

mudar de ilha, sujar a seita

romper a posse, fazer desfeita

não ter mais nomes, saltar do boat

sentir-se em casa, sem horizontes

abrir o peito, tirar a lama

quebrar os medos, cair da cama

perder as rédeas, soltar a franga

 

…me encontre ali, numa esquina

da teodoro sampaio com a faria lima


Do livro Vísceras que será lançado em abril de 2019 pela Editora Patuá.

Clara Baccarin é poeta do interior paulista. Formada em Letras e mestre em Estudos Literários pela Unesp, publicou três livros: o romance Castelos Tropicais (Editora Chiado), a coletânea de poemas Instruções para Lavar a Alma (publicação independente), e o de crônicas Vibração e Descompasso (Editora Laranja Original). É colunista dos sites Conti Outra e A soma de todos os afetos e tem poemas publicados em diversas revistas literárias no Brasil e em Portugal. Seu livro Instruções para Lavar a Alma recebeu o prêmio Guarulhos de Literatura 2017. Vísceras é seu segundo livro de poemas contemplado com o edital de poesia do ProaC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *